Topo

Quais as regras para caminhões circularem em áreas urbanas?

Quais as regras para caminhões circularem em áreas urbanas?

E aí, amigos(as), como vão as entregas? Tudo em dia? De olho nos locais onde o seu caminhão pode transitar? Na hora de rodar pela cidade, muitas vezes não reparamos que alguns lugares não permitem o fluxo livre de caminhões, o que pode prejudicar a sua frota ou até a logística de entrega. 

É justamente sobre isso que iremos falar hoje! Qual a regra para caminhões circularem em áreas urbanas? Você sabe? 

Sobre as restrições

Durante as entregas, um dos problemas que você enfrenta é o fluxo intenso do trânsito, e uma das alternativas para equilibrar esse fluxo é com restrições de circulação. 

Algumas cidades, como Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Fortaleza, Recife e Porto Alegre possuem restrição de circulação para veículos de carga. Algumas dessas restrições são:

  • Restrição de Circulação: apenas nas áreas demarcadas o fluxo é proibido.
  • Restrição de Carga e Descarga: deve-se seguir o horário estipulado na cidade para carregar e descarregar o caminhão.
  • Restrição de Estacionamento: proibido estacionar, carregar ou descarregar. 

No mapa abaixo, você pode ver como algumas cidades funcionam quanto à restrição na circulação.

Fonte: aqui

E a respeito da Lei?

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB), instituído pela Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, afirma que  “a operação de carga ou descarga será

regulamentada pelo órgão ou pela entidade com circunscrição sobre a via (art. 47, parágrafo único)”. 

Em caso de paradas para descarregar ou carregar o caminhão, o veículo deverá ser posicionado no sentido do fluxo, podendo ser admitidas exceções.

Nas vias que tiverem acostamento, os veículos parados, estacionados ou em operação de carga ou descarga deverão estar situados fora da pista de rolamento (art. 48, § 1º). E, quando for realizada a carga e descarga, é necessário atentar-se para o tempo necessário ao carregamento ou descarregamento, sem ultrapassar o limite estipulado.

Saiba mais sobre a lei, acessando aqui 

Abaixo, as placas que regulamentam a proibição ao trânsito de veículos de carga.

No Art. 231, constitui-se infração de trânsito, caso você transite com o veículo “IV – com suas dimensões ou de sua carga superiores aos limites estabelecidos legalmente ou pela sinalização, sem autorização […]”.

A infração relativa ao art. 231 é de natureza grave, e deve ser aplicada a penalidade de multa e a medida administrativa de retenção do veículo para regularização. Além dos cinco pontos na CNH do condutor. 

E, quando falamos de trechos rodoviários, de acordo com a portaria nº 200, de 10 de dezembro de 2018, algumas regras devem ser levadas em conta, como:

I- Largura máxima: 2,60 metros;

II- Altura máxima: 4,40 metros;

III- Comprimento total de 19,80 metros e

IV- Peso Bruto Total Combinado (PBTC) para veículos ou combinações de veículos: 57 toneladas.

Para saber mais sobre o tráfego em cada região, é só clicar aqui.

Mas, como fiscalizar?

O Denatran define os caminhões como veículos automotores destinados ao transporte de carga, com carroceria e Peso Bruto Total superior a 3,5 t. A Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) já considera os caminhões de acordo com o seu peso. Abaixo, vemos essa classificação.

Isso é levado em conta, para cada região definir o limite do peso bruto do caminhão em rodovias e bairros. E a fiscalização, muitas vezes, ocorre pelo agente de trânsito ou os detectores de invasão de circulação proibida de caminhões, instalados em equipamentos de fiscalização eletrônica.

Na pesquisa realizada pela CNT (Confederação Nacional de Transporte), você pode conferir todas as restrições aos caminhões em diversas cidades. É só clicar aqui.

Dicas para lidar com as restrições na circulação de caminhões

No seu dia a dia, no corre corre do batidão e, às vezes, com a falta de sinalização, você transita em locais impróprios para a circulação de caminhões. Para evitar que isso aconteça sempre, é bom praticar algumas dicas:

Planejamento da rota

Pense em sua frota, entendendo o que o cliente precisa e a flexibilidade da empresa ou sua (caso for autônomo) em traçar novas rotas.

Um exemplo é a FedEx, que criou uma nova rotina através de estoques sobre rodas. Carros com produtos abastecem os caminhões que já estão a caminho da entrega. Saiba mais, aqui. 

Centros de distribuição mais próximos

Outra saída é a localização dos centros de distribuição. Isso diminui gastos com abastecimento e longas distâncias percorridas, o que causa grande cansaço aos motoristas.

Caminhões menores

Optar por caminhões que são mais econômicos e menores em tamanho, comparados a outros do segmento de pesados, como o Tector 9 toneladas, pode ajudar na hora da entrega. Você consegue transitar por quase todos os lugares da cidade. Outra opção são os modelos da linha Daily, versáteis e quase como um carro, você dirige com sua CNH categoria B por todos os cantos. 

E aí, curtiu as nossas dicas? Leia os materiais de apoio que colocamos ao longo do texto, (nos links), e conheça um pouco mais sobre as restrições da sua cidade! Ah, e não se esqueça de comentar a sua opinião!

Iveco Brasil