Top

Calço Hidráulico: o que é e como evitar?

Calço Hidráulico: o que é e como evitar?

Hoje, eu quero conversar com você sobre algo que todo mundo que tem um veículo teme: o calço hidráulico. Não tem para onde correr, você está sujeito a ter o calço hidráulico, principalmente, se tem um veículo refrigerado a água (o que é bem provável).

Além dos próprios componentes causarem o calço hidráulico, passar em locais de alagamento em chuvas fortes causa um grande risco também.

Se você nunca ouviu falar do problema, deve estar se perguntando: como a água da chuva pode provocar o calço hidráulico? Calma, que vou te contar tudo! Caso saiba o que é, fique aqui, que vou contar também como isso pode ser evitado.

O temido calço hidráulico!

Por que o problema é considerado um tormento? Sabemos que outros problemas também são ruins, mas esse é considerado um dos mais caros. 

O motivo é que ele pode travar os pistões e afetar o cárter, cabeçote, entre outras peças, dando um custo de manutenção e peças bem alto, para qualquer bolso.

O calço hidráulico é formado, na maioria das vezes, pela água ou pelo combustível (este em motores modernos).

Durante a combustão, o motor é refrigerado pela água, e é aí que pode entrar um pouco de água, caso a junta esteja desgastada ou apodrecida. Quando o líquido entra, os pistões não conseguem fazer a compressão e ficam “travados”, formando o “tormento”. 

Em casos raros, o óleo lubrificante também pode causar calço hidráulico. Além disso, como comentado anteriormente, a água da chuva também provoca a trava dos pistões.

Em regiões alagadas, a água pode entrar pela frente do veículo ou pelo cano de descarga, nesse caso, os pesados estão tranquilos, mas no caso da IVECO Daily, por exemplo, há um risco de entrar pelo escapamento.

É possível evitar o calço hidráulico!

Amigo(a), eu sei que é repetitivo, mas o único jeito de evitar o calço hidráulico, quando formado pelos componentes do motor, é você fazendo a manutenção preventiva do seu veículo, como as revisões adequadas.

No caso de motores mais antigos, fique de olho na junta do cabeçote! A junta pode apodrecer ou se desgastar com o tempo, e é ela que isola o motor do contato com a água.


A reparação grave no motor dos brutos pode pesar muito no bolso, ainda mais se você for autônomo. Isso não quer dizer que outros motores serão baratos, porque a facada é igual para todos.

No caso de alagamentos, você precisa manter o giro alto. Confie! Engate a segunda e mantenha a velocidade, assim vai evitar que o motor puxe a água pelo escapamento. Mas, caso entre água, e o seu motor pare de funcionar, não tente ligá-lo, porque a ação pode custar ainda mais caro.

Inclusive, fica aqui uma dica, amigo(a)! Se seu carro desligar em uma enchente, saia do veículo e procure um local seguro.

Sabemos que perder um bem material não é agradável, mas a sua vida vale muito mais! Até porque, se seu veículo não foi levado pela força da água, ele não vai sair dali ligando porque a água já tomou o motor.

Deu calço hidráulico, e agora?

Se no seu caso for só a junta, o ideal é trocar a peça, mas para que chegue até a oficina de uma concessionária, sem gastar com um reboque, tire as velas e acione a ignição. O líquido será empurrado para fora com o movimento dos pistões e voltará a funcionar.

Mas, lembre-se, amigo(a), se porventura o seu motor tiver parado de funcionar com o giro alto, é melhor não realizar essa ação, combinado? Reboque realmente é caro, principalmente os de quinta roda, mas caso arrisque o motor, as despesas serão ainda maiores.

Anotou todas as dicas? Agora, você não corre tanto risco de ter o calço hidráulico, por isso, compartilhe com os seus colegas para que eles também possam entender melhor sobre o problema.

Curtiu? Então, até a próxima!

Iveco Brasil