Top

Alcoolismo: procurar ajuda é um ato de amor próprio!

Alcoolismo: procurar ajuda é um ato de amor próprio!

E aí, amigo(a)?! Nesta semana, experimentamos um Carnaval diferente. Ao invés de glitter, usou-se álcool em gel, a fantasia foi trocada pela máscara, e os bloquinhos foram formados em casa, sem aglomeração.

Mesmo com uma semana menos agitada e, felizmente, sem tantos acidentes nas ruas e nas estradas, não podemos deixar de falar do Dia Nacional de Combate ao Alcoolismo, que é celebrado hoje, 18 de fevereiro.  

Consumo de bebida alcoólica no Brasil

De acordo com o Relatório Global sobre Álcool e Saúde (2018), produzido pela Organização Mundial de Saúde, o Brasil está entre os 100 países que mais consomem bebida alcoólica no mundo, ocupando a 53ª posição. Na América Latina, ele é o 5º colocado, tendo um aumento expressivo durante a pandemia.

Na análise “Uso de álcool e anfetaminas entre caminhoneiros de estrada”, realizada por alunos da Faculdade de Enfermagem de Passos (MG) e Universidade Estadual Paulista de Assis (SP), o consumo de bebidas alcoólicas entre os motoristas e caminhoneiros(as) é de quase 90%.

A celebração do Dia Nacional de Combate ao Alcoolismo tem como objetivo alertar a população sobre a dependência do álcool e os malefícios do uso excessivo.

Alcoolismo no Brasil

Segundo o hospital Albert Einstein, no Brasil, cerca de 10% da população é alcoólatra. O alcoolismo é uma dependência e ela não se configura a partir da quantidade de bebida que a pessoa ingere, mas pelo desejo incontrolável de beber.

Ao longo dos anos, o consumo excessivo de álcool pode provocar danos ao sistema nervoso, diminuição da sensibilidade e força das pernas, causar gastrite e úlceras no estômago, cirrose, hepatites e gordura no fígado. Além dos problemas físicos, o alcoolismo prejudica as relações sociais, como no trabalho e na família.

ALCOOLISMO TEM CURA!

A dependência do álcool é uma doença que está associada a diversos fatores, como sociais, psicológicos e até genéticos. Entretanto, assim como em outras doenças, há tratamento e cura!

Pense nestas perguntas:

  • Você já pensou que deveria diminuir seu consumo de álcool?
  • Alguém já te criticou por causa da bebida?
  • Você já se sentiu mal ou culpado por beber?
  • Você já acordou e a primeira coisa que fez foi beber para se sentir bem?

Se a resposta for sim para alguma dessas perguntas ou conhece alguém que com certeza diria sim, é fundamental que busque um auxílio profissional de saúde para um diagnóstico preciso e seguro.

Outros métodos, fora do âmbito medicinal, também são muito bem-vindos, como é o caso das reuniões dos Alcoólatras Anônimos, grupo que visa compartilhar experiências e se apoiar durante o tratamento.

Pedir ajuda não é sinal de fraqueza!

Existe um tabu sobre o alcoolismo que associa a doença à falta de caráter ou até que a pessoa deveria se envergonhar, porém, como dissemos, o alcoolismo não é nada disso e, com certeza, está ligado a um dos fatores descritos há pouco.

Por isso, pedir ajuda não é sinal de fraqueza, é um ato de amor com você mesmo! Assim, é possível ter uma vida mais saudável, evitar problemas sociais e de saúde, além de ter uma recuperação bem sucedida. 

Para que esse processo de recuperação seja eficaz, o apoio dos amigos e familiares é fundamental. Por isso, amigo(a), caso conheça algum colega nessa situação, incentive-o a procurar ajuda e diga que está tudo bem, que não é algo para se envergonhar.

Compartilhe este conteúdo com outros amigos(as) para que cada vez mais as pessoas tenham acesso à conscientização do alcoolismo e ajudem a propagar mais informações sobre a doença.

Iveco Brasil