Top

Saiba o que não pode faltar na manutenção do seu Iveco

Saiba o que não pode faltar na manutenção do seu Iveco

Com o passar do tempo e a utilização, a vida útil do veículo diminui. Por isso, a manutenção é muito importante para não deixar o motorista em apuros. Leandro Paschoal, chefe de oficina da Rede Iveco, contou na edição de dezembro da revista Força Iveco quais são os pontos importantes que não podem ficar de fora dessa avaliação.

Óleo de câmbio
“Os novos caminhões da linha Stralis têm câmbio automatizado, que oferece ao condutor a vantagem de rodar muito mais quilômetros sem precisar trocar o óleo. Mas é preciso lembrar que para manter a saúde do sistema de câmbio do seu peso pesado, esse óleo de câmbio deve ser trocado a cada 240 mil quilômetros rodados”, comenta Paschoal, ressaltando que a falta desse procedimento gera o desgaste prematuro do equipamento. “Dependendo do problema, a durabilidade do câmbio pode ser reduzida em até 50%. Na pior das hipóteses, se não trocar o óleo na hora certa, você pode acabar perdendo a caixa de câmbio.”

Óleo do cubo
De acordo com o chefe de oficina da Rede Iveco, trocar o óleo do cubo é um procedimento importante, mas que muitos esquecem de fazer. “Até hoje, poucos clientes questionaram nossos mecânicos sobre o óleo do cubo dianteiro do Stralis, cuja troca é recomendada a cada 90 mil quilômetros”, ensina Paschoal. “O problema é que com o tempo, o óleo perde viscosidade e pode causar um superaquecimento no rolamento do eixo dianteiro, que chega até a travar a roda do caminhão. Para evitar esse problema, nossas concessionárias contam com o contrato de manutenção estendida, que oferece ao transportador a possibilidade de manter seu veículo sempre saudável. Somente na Rede Iveco, você tem mão de obra especializada, o uso de peças originais e a garantia de que o serviço será bem feito.”

Sistema de iluminação
Outra dica de valor é verificar o sistema de iluminação do seu Daily. “Este é um item de segurança, que deve estar sempre em ordem”, observa Paschoal, lembrando que a peça não se deteriora. “O que acontece com frequência é a queima de lâmpadas, por conta da trepidação das ruas e avenidas dos grandes centros.” Segundo ele, essa queima ocorre principalmente com as lâmpadas traseiras, que sofrem mais com o impacto gerado pelas imperfeições do asfalto. “O sistema vem com um coxim de borracha para fixar melhor a lanterna, evitar trepidação e assegurar uma maior vida útil do equipamento. Quando o serviço de troca não é realizado na concessionária, muitas vezes, o mecânico terceirizado retira esse coxim e coloca a lanterna direto na base. Sem essa proteção, o conjunto todo acaba quebrando.” E, já que você está revisando o sistema de iluminação do seu caminhão, aproveite também para verificar o alinhamento dos faróis, que são seus olhos na estrada!

Limpador de parabrisa
O início do verão sempre marca a chegada das chuvas em todo o país. “Se a palheta do limpador de parabrisas não estiver em boas condições, você perde completamente a visibilidade da estrada. Troque essa palheta uma vez por ano e fique longe do problema!”, diz Paschoal.

Filtro do ar-condicionado
“Outro dia, um cliente chegou na concessionária dizendo que tinha algum bicho morto dentro da cabine ou do motor do seu caminhão por conta do mau cheiro”, lembra Paschoal. “Quando começamos a mexer no veículo, logo vimos que o morto em questão era o sistema de ar-condicionado!” Isso porque o cliente estava há um ano sem trocar o filtro do ar-condicionado. “Esse filtro puxa o ar de fora, retém as impurezas e leva o ar puro para dentro da cabine. Com o tempo, ele acumula uma quantidade gigantesca de ácaros, que causam o mau cheiro.” Evitar esse tipo de problema é simples, rápido e barato: “A Rede Iveco oferece o serviço de higienização do sistema de ar-condicionado, que leva 30 minutos para ser realizado e evita aquele cheirinho desagradável!”, conclui Paschoal.

Conheça os planos de manutenção da Iveco e agende a revisão do seu veículo.

Fonte: Força Iveco, Ano 12, nº 58

Iveco Brasil