Top

Cuidados com a saúde mental

Cuidados com a saúde mental

O tema do nosso blog desta vez vai ser um pouco diferente, mas extremamente importante. Não sei se você acompanhou, mas recentemente fizemos uma live no nosso Instagram com a participação da psicóloga Patrícia da Cunha, do SEST SENAT, e o caminhoneiro Mit Muriçoca, para abordar um assunto muito importante, principalmente neste momento que estamos enfrentando.

O tema da live foi: Cuidados com a Saúde mental, e que trouxe a participação também dos nossos seguidores enviando perguntas, e as próprias dúvidas levantadas pelo Mit durante a live diretamente para a psicóloga. 

Mas, antes de contar como foi a live, vamos pontuar como está o setor?

De acordo com o SEST SENAT, no XII Fórum de Políticas Públicas e Saúde do Homem,  um grande número de caminhoneiros está em depressão (fonte). E, neste momento, a ansiedade por não saber como os próximos dias serão pode impactar muito no trabalho. 

Outros dados são relacionados à qualidade de vida, horas de descanso, quantidade de refeições, férias e entregas que foram coletadas pela CNT (Confederação Nacional do Transporte) analisando o perfil de diversos(as) caminhoneiros(as) pelas estradas (você pode conferir a pesquisa completa clicando aqui). E, devido às grandes horas dirigindo, muitas vezes alguns detalhes da sua saúde são deixados de lado. E como se atentar para a saúde mental?

Saúde mental

O(a) caminhoneiro(a) não para, por isso, a saúde na estrada é um assunto muito importante. Principalmente, a saúde mental. O motorista tem que estar bem fisicamente e psicologicamente para dirigir, ainda mais por longos períodos como os(as) caminhoneiros(as) estão acostumados(as). 

Por saber disso e viver na pele, o Mit começou a live perguntando para a Patrícia por que é tão importante ter um auxílio psicológico neste momento. De acordo com a Patrícia, o momento nos traz medo e insegurança sobre o amanhã. Mas como lidar com o medo?

O medo é algo perfeitamente normal. Medo, ansiedade e picos de tensão vão aparecer, por ser uma situação nova para todos nós. O medo nos protege e nos faz ficar mais atentos, em alerta com o que está acontecendo. 

Mas, também é preciso prestar atenção no nível desse medo. Para não virar algo exagerado, como: estou sentindo os mesmos sintomas, estou doente… devemos tentar não pensar dessa forma. E sim, o que você pode fazer. Focar no momento presente. Não preciso passar álcool em gel a todo momento, de forma desesperada, mas preciso estar atento(a). Passar mais uma vez, tentar se lembrar, mas não ficar focado apenas nisso. A máscara é um aprendizado, estamos num treinamento. Então, tentar ser solidário com você mesmo(a) agora, é muito importante para a sua saúde mental. 

Outro ponto é a sensação de estar perdido(a) com o fluxo de informações, o excesso, fake news. A quantidade de informação não é igual à gravidade das informações. Tem muitos grupos de Whatsapp que se tornam muito poluídos, tóxicos em períodos de crises. Então, seguem algumas dicas citadas na live:

  • Tentar identificar se um assunto está fazendo bem ou não para você;
  • Tentar escolher qual grupo manter;
  • Silenciar o grupo se o conteúdo estiver ruim;
  • Procurar escolher outra forma de se distrair, como escutar músicas;
  • Escolher apenas um ou dois momentos do dia para ler notícias.

O que eu posso fazer para evitar o contágio?

Preparo. Se preparar para trabalhar, levar as suas coisas, ter cuidado com as suas ações. Quanto mais resistência a gente cria para uma situação, mais difícil é para resolver. Trazer um momento presente do que você pode fazer para ajudar. 

Como identificar que você ou o(a) seu(sua) amigo(a), colega de estrada precisa de ajuda profissional?

Observando sinais. Quando se vê um descontrole emocional, através do medo ou ansiedade. Você pode até criar formas de ajudar a combater ou aliviar isso. Mas, se você observar que alguns sintomas estão com uma intensidade maior, como aperto no peito, falta de ar, medo e estão fugindo do seu controle, você precisa de ajuda médica e profissional. Porque são sinais físicos e, consequentemente, eles geram pensamentos negativos para você.

A psicóloga e o Mit Muriçoca aproveitaram para tirar outras dúvidas muito interessantes também! Assista à live completa abaixo:

Ficou com alguma dúvida? Gostou desse bate-papo entre a psicóloga Patrícia da Cunha, do SEST SENAT, e o caminhoneiro Mit Muriçoca? Então, conta pra gente! Em breve, teremos outras lives no nosso perfil do Instagram! Você pode seguir, clicando aqui.

Iveco Brasil