Top

Caminhão, o termômetro da economia

Caminhão, o termômetro da economia

Com a situação política e econômica que o Brasil anda vivenciando ultimamente, vem à tona preocupações, discussões e pensamentos em torno do assunto. Conversando com um amigo, ele comentou que o que vivemos hoje pode ser comparado à teoria do queijo, onde quanto maior o queijo, mais buracos. Logo, quanto mais buracos, menos queijo. Quando voltamos do mercado com compras, essa teoria vem bem a calhar.

Outro  exemplo é que, de todas as modalidades de transporte em que minha empresa atua, a que eu faço parte anda se destacando, com ganhos cada vez maiores e bastante trabalho, mas o padrão de vida é o mesmo, pois o custo de vida anda cada vez mais elevado, e mesmo sendo  uma operação em ascensão, ela sozinha não mantém a empresa inteira e, se para um chefe de família está difícil manter uma casa, imagine manter uma empresa? Infelizmente, em muitos casos as contas não fecham! E isso comprova a difícil situação que nos encontramos atualmente.

Especialmente sobre este momento que vivemos, em conversas com outros caminhoneiros, vejo pensamentos e opiniões controversas sobre a política. Somos uma classe bem representativa no mercado, porém, nos mostramos bastante desinteressados sobre este assunto fundamental.  Precisamos mudar o quanto antes esta postura e temos que assumir o compromisso de cobrar e acompanhar as ações dos políticos, pois só assim, deixaremos de sofrer novamente com atitudes errôneas causando sérios prejuízos ao andamento da economia.

O que agrava ainda mais é que, de todas as profissões, sem dúvida alguma a de caminhoneiro é a que mais sofre com crises, pois a máxima de que o caminhão é termômetro da economia é mais do que certa. Vivemos com base na demanda de mercado, e quando este mesmo mercado diminui, sofremos imediatamente.

Mas em todos os momentos difíceis, sempre se aproveita o aprendizado para que, em futuros conturbados, consigamos passar sem maiores dificuldades. E neste cenário, temos que aproveitar para nos qualificar, deixar o caminhão com a manutenção em dia, aumentar o controle dos custos e ser mais competitivo. Portanto amigo caminhoneiro e transportador, é hora de arrumar a casa, se adequar para ser mais rentável e aproveitar o momento de poucas viagens para dar uma observada no cargueiro e realizar uma manutenção mais a fundo, pois se esse não é o melhor momento para gastar dinheiro, é melhor gastar com prevenção do que remediar.

Até logo.

Wagner Araújo  Wagner Araújo – Carreteiro e responsável pelo blog Wagner Caminhõeshttp://wagnercaminhoes.blogspot.com.br/

 

 

Iveco Brasil