Topo

Chapa, um amigo do estradeiro

Chapa, um amigo do estradeiro

Certa vez em uma conversa, um amigo comentou que viu na TV uma matéria sobre pessoas que ficavam na beira das estradas sinalizando para os caminhoneiros próximos à grandes centros e entrada de cidades. O interrompi dizendo que sabia do que se tratava, eram os famosos chapas, verdadeiros amigos dos caminhoneiros.

Ele se mostrou surpreso por nunca ter ouvido falar sobre esse tipo de profissão. De certo ele estava desatento, pois basta dar uma breve olhada nas margens das rodovias espalhados pelo país para ver sempre pessoas reunidas ou sozinha, ao lado de placas escrito Chapa em letras garrafais e irregulares.

Para os amigos da estrada, principalmente os estradeiros, com certeza alguma vez já precisou dos serviços desses profissionais. Eu mesmo já precisei duas vezes no Rio de Janeiro, bem no início nas primeiras viagens para a cidade maravilhosa, que para quem está de carreta medindo 15,50m de comprimento e 4,20m de altura em ruas estreitas e com fios baixos não tem nada de maravilhoso.

Na época, considero que paguei um dinheiro considerável pelo serviço. Mas, se parar para pensar que se perder no RJ, ainda mais com uma carreta, não é uma situação confortável, o dinheiro não foi tanto.

Os chapas são conhecidos por duas modalidades, os chapas guias e o chapa de serviço, o que irá descarregar a carga no local da entrega.

Esse primeiro corre um sério risco de entrar em extinção, pois os GPS estão sendo utilizados pela caminhoneirada em larga escala, e o segundo corre o risco por muitas empresas já contarem com o pessoal próprio para a descarga da mercadoria.

Muitos desses profissionais criam verdadeiro vínculo com motorista e até mesmo com as transportadoras, prestando serviços muitas vezes para o mesmo caminhoneiro ou motoristas de uma mesma empresa.

Na minha opinião, eles merecem muito respeito, pois contribuem para que nossa operação seja menos complicada e para isso aguardam um caminhão parar para contratá-los quase sempre debaixo de chuva e sol.

Muitos desses chapas são tão apaixonados por caminhões quanto nós, motoristas profissionais. Eu mesmo conheço um amigo que trabalhava de chapa e hoje ele é motorista de caminhão.

Realmente, como em muitas outras profissões, a atividade de chapa corre o risco de sumir ao longo dos anos por conta das mudanças do mercado e do perfil das transportadoras, mas acredito que veremos esses personagens nas beiras das estradas por um bom tempo ainda.

Um abraço aos amigos chapas e colegas de trabalho, até a próxima.

Iveco Brasil