Top

Iveco e Favela É Isso Aí encerram oficinas culturais na Cidade de Deus, em Sete Lagoas

Iveco e Favela É Isso Aí encerram oficinas culturais na Cidade de Deus, em Sete Lagoas

A Iveco dá mais um passo rumo à sustentabilidade com o encerramento das oficinas culturais promovidas pelo Próximo Passo, programa de sustentabilidade da montadora, e organizada pela ONG Favela É Isso Aí, na comunidade Cidade de Deus, em Sete Lagoas (MG). No dia 9 de julho os alunos que participaram das oficinas de Desenho Animado e Videodocumentário participarão da solenidade de formatura, às 18h30, na Casa de Cultura, em Sete Lagoas. Para Júnea Sá Fortes, coordenadora do Próximo Passo, esse é um motivo de comemoração, tanto para Iveco quanto para a comunidade. “Esse foi mais um passo dado em busca do desenvolvimento social e cultural da Cidade de Deus. A Iveco acredita na potencialidade do bairro e de seus moradores e, por isso, vai continuar promovendo ações em prol da comunidade”, destaca.
Cada oficina teve duração de 20 horas, com a participação de 10 alunos na turma de Desenho Animado e 17 na de Videodocumentário. Na primeira oficina, os jovens puderam criar suas próprias histórias, tendo a possibilidade de filmar e editar pequenos movimentos de desenhos com a técnica de Stop Motion. Como resultado, três pequenos experimentos de animação, feitos a partir de fotos produzidas pelos próprios jovens que foram geradas na Oficina de Fotografia, realizada em maio de 2009. Já para a oficina de Vídeo, os alunos puderam entrevistar moradores do bairro Cidade de Deus em um passeio pelas ruas em diferentes momentos, destacando sempre as belezas particulares da comunidade. O vídeo final reuniu os resultados das outras oficinas, com duração de 15 minutos. Os alunos e seus familiares terão a oportunidade de assisti-lo pela primeira vez durante a solenidade de formatura.
César Maurício Alberto, bacharel em cinema e coordenador artístico da ONG Favela É Isso Aí, ministrou as duas últimas oficinas para os moradores da Cidade de Deus e destacou a importância de atividades como essas para o desenvolvimento cultural dos participantes. “As oficinas proporcionam a descoberta de movimentos de cultura próximos, a valorização de seu lugar de origem e de um novo panorama a partir do olhar dos jovens”, afirma. Segundo César, o uso de ferramentas audiovisuais é um bom caminho para novas descobertas e possibilidades para jovens que ainda têm dificuldade de acesso a equipamentos e, muitas vezes, à informação. “Produzimos o festival Favela É Isso Aí, aberto para todo o país e também para o exterior, que tem como objetivo divulgar e fomentar o audiovisual como instrumento de educação e transformação do indivíduo. O filme feito pelos jovens da Cidade de Deus será mostrado na próxima edição do festival, no fim do ano”, explica César.
Antes da realização das oficinas culturais, iniciadas em maio de 2009, um grupo de bolsistas da comunidade participou do mapeamento cultural do bairro Cidade de Deus, para descobrir os artistas e grupos culturais do local, além de colher depoimentos e histórias de pessoas que são referência no bairro. Foram cadastrados 104 grupos culturais, entre artesãos, músicos, dançarinos, artistas plásticos, teatro, entre outros, totalizando 369 artistas. Para Clarice Libânio, coordenadora do Favela É Isso Aí, as atividades desenvolvidas pela ONG na Cidade de Deus contribuíram para o conhecimento dos moradores do próprio local onde vivem. “Desenvolvemos as ações com intuito de contribuir para a inserção social, de investir na arte e cultura e de proporcionar o crescimento do bairro e a promoção da cidadania. Temos certeza que despertamos um novo olhar dos moradores para a Cidade de Deus”, comemora.
A primeira oficina realizada foi a de fotografia, que gerou cinco exposições das fotos produzidas pelos participantes. As fotos também foram utilizadas durante a oficina de jornal, uma edição especial da publicação Favela É Isso Aí voltada para o bairro Cidade de Deus. O lançamento do jornal para a população da comunidade foi marcado por um cortejo de congado, tradição do local, e reuniu cerca de 200 pessoas.
A estudante Natália Lorrane, de 14 anos, participou de todas as oficinas e se encantou com as possibilidades oferecidas. “Foi possível conhecer muitas pessoas e, principalmente, a Cidade de Deus. Nunca tinha conhecido tantas áreas do meu bairro”. A estudante, que ainda não tinha participado de oficinas culturais, aguarda ansiosa outras oportunidades. “Se tiverem outras oficinas vou querer participar, com certeza”, confirma.
A Iveco vem buscando, nos últimos anos, traçar um caminho de sustentabilidade social e ambiental, com ações e programas que envolvem o uso racional dos recursos naturais, reciclagem, ética, cidadania, capacitação e desenvolvimento das comunidades próximas à fábrica, em Sete Lagoas (MG). Além das oficinas culturais da Favela É Isso Aí, realizadas via Lei Federal de Incentivo à Cultura, a Lei Rouanet, a Iveco patrocina outros projetos de âmbito social na cidade, como o Sempre Um Papo na Comunidade, uma série de palestras com temas que tratam de responsabilidade social, esporte, empreendedorismo, saúde, família, música e outros, com intuito de contribuir para o desenvolvimento, a formação educacional e social das pessoas.
Na Cidade de Deus, a Iveco também vem promovendo oficinas de empreendedorismo social, educação ambiental e desenvolvimento profissional dos moradores da comunidade, realizadas pela Lenum Ambiental, empresa voltada para gestão de projetos socioambientais, parceira do Próximo Passo. Para Júnea Sá Fortes, o apoio a esses projetos faz parte da diretriz de sustentabilidade da Iveco. “A sustentabilidade hoje faz parte dos pilares da Iveco, que definiu que o desenvolvimento cultural, social, econômico e ambiental é indispensável para o fortalecimento da cidadania”, afirma.
Cidade de Deus
O bairro Ondina de Vasconcelos de Oliveira, a Cidade de Deus, existe desde 1998 e foi fundado para suprir a demanda habitacional de Sete Lagoas. O bairro ainda está na luta pela aquisição de condições básicas de infraestrutura e um levantamento apontou que o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da comunidade é abaixo da média nacional. A presença da fábrica da Iveco nas proximidades do bairro abriu janelas de possibilidades para a comunidade, que vê a presença da montadora como oportunidade de desenvolvimento econômico e social, além dos incentivos ambientais e culturais que já vem promovendo.
Favela é Isso Aí
A ONG, fundada em 2004, surgiu a partir do Guia Cultural de Vilas e Favelas, idealizado pela antropóloga Clarice Libânio, coordenadora da instituição. O objetivo é valorizar a arte e a cultura nas vilas e favelas, pesquisando e divulgando os artistas e as manifestações locais. A ONG desenvolve, atualmente, os seguintes projetos: “Banco da Memória”, que documenta e divulga a história, os artistas e os equipamentos socioculturais das comunidades; “Festival Nacional de Vídeos Favela é Isso Aí – Imagens da Cultura Popular Urbana”; “Estúdio Favela é Isso Aí”, que produz e grava CDs de artistas das comunidades; e o “Programa de Rádio Favela é Isso Aí”, em parceria com a rádio Inconfidência.  A Instituição é responsável também pela Coleção de Livros Prosa e Poesia no Morro, lançada em 2008, com cinco volumes: artesanato/receita/literatura/artigos/Banco da Memória. A ONG mantém também a Agência de Notícias Favela é Isso Aí, que produz jornal impresso bimestral, boletim eletrônico semanal, sugestão de pauta quinzenal e alimenta o site www.favelaeissoai.com.br
oficinadefoto_280

Projeto promoveu quatro oficinas e um mapeamento cultural na Cidade de Deus.

A Iveco dá mais um passo rumo à sustentabilidade com o encerramento das oficinas culturais promovidas pelo Próximo Passo, programa de sustentabilidade da montadora, e organizada pela ONG Favela É Isso Aí, na comunidade Cidade de Deus, em Sete Lagoas (MG). No dia 9 de julho os alunos que participaram das oficinas de Desenho Animado e Videodocumentário participarão da solenidade de formatura, às 18h30, na Casa de Cultura, em Sete Lagoas. Para Júnea Sá Fortes, coordenadora do Próximo Passo, esse é um motivo de comemoração, tanto para Iveco quanto para a comunidade. “Esse foi mais um passo dado em busca do desenvolvimento social e cultural da Cidade de Deus. A Iveco acredita na potencialidade do bairro e de seus moradores e, por isso, vai continuar promovendo ações em prol da comunidade”, destaca.

Cada oficina teve duração de 20 horas, com a participação de 10 alunos na turma de Desenho Animado e 17 na de Videodocumentário. Na primeira oficina, os jovens puderam criar suas próprias histórias, tendo a possibilidade de filmar e editar pequenos movimentos de desenhos com a técnica de Stop Motion. Como resultado, três pequenos experimentos de animação, feitos a partir de fotos produzidas pelos próprios jovens que foram geradas na Oficina de Fotografia, realizada em maio de 2009. Já para a oficina de Vídeo, os alunos puderam entrevistar moradores do bairro Cidade de Deus em um passeio pelas ruas em diferentes momentos, destacando sempre as belezas particulares da comunidade. O vídeo final reuniu os resultados das outras oficinas, com duração de 15 minutos. Os alunos e seus familiares terão a oportunidade de assisti-lo pela primeira vez durante a solenidade de formatura.

César Maurício Alberto, bacharel em cinema e coordenador artístico da ONG Favela É Isso Aí, ministrou as duas últimas oficinas para os moradores da Cidade de Deus e destacou a importância de atividades como essas para o desenvolvimento cultural dos participantes. “As oficinas proporcionam a descoberta de movimentos de cultura próximos, a valorização de seu lugar de origem e de um novo panorama a partir do olhar dos jovens”, afirma. Segundo César, o uso de ferramentas audiovisuais é um bom caminho para novas descobertas e possibilidades para jovens que ainda têm dificuldade de acesso a equipamentos e, muitas vezes, à informação. “Produzimos o festival Favela É Isso Aí, aberto para todo o país e também para o exterior, que tem como objetivo divulgar e fomentar o audiovisual como instrumento de educação e transformação do indivíduo. O filme feito pelos jovens da Cidade de Deus será mostrado na próxima edição do festival, no fim do ano”, explica César.

Antes da realização das oficinas culturais, iniciadas em maio de 2009, um grupo de bolsistas da comunidade participou do mapeamento cultural do bairro Cidade de Deus, para descobrir os artistas e grupos culturais do local, além de colher depoimentos e histórias de pessoas que são referência no bairro. Foram cadastrados 104 grupos culturais, entre artesãos, músicos, dançarinos, artistas plásticos, teatro, entre outros, totalizando 369 artistas. Para Clarice Libânio, coordenadora do Favela É Isso Aí, as atividades desenvolvidas pela ONG na Cidade de Deus contribuíram para o conhecimento dos moradores do próprio local onde vivem. “Desenvolvemos as ações com intuito de contribuir para a inserção social, de investir na arte e cultura e de proporcionar o crescimento do bairro e a promoção da cidadania. Temos certeza que despertamos um novo olhar dos moradores para a Cidade de Deus”, comemora.

formaturaoficinafoto_150

Alunos da oficina de fotografia.

A primeira oficina realizada foi a de fotografia, que gerou cinco exposições das fotos produzidas pelos participantes. As fotos também foram utilizadas durante a oficina de jornal, uma edição especial da publicação Favela É Isso Aí voltada para o bairro Cidade de Deus. O lançamento do jornal para a população da comunidade foi marcado por um cortejo de congado, tradição do local, e reuniu cerca de 200 pessoas.

A estudante Natália Lorrane, de 14 anos, participou de todas as oficinas e se encantou com as possibilidades oferecidas. “Foi possível conhecer muitas pessoas e, principalmente, a Cidade de Deus. Nunca tinha conhecido tantas áreas do meu bairro”. A estudante, que ainda não tinha participado de oficinas culturais, aguarda ansiosa outras oportunidades. “Se tiverem outras oficinas vou querer participar, com certeza”, confirma.

A Iveco vem buscando, nos últimos anos, traçar um caminho de sustentabilidade social e ambiental, com ações e programas que envolvem o uso racional dos recursos naturais, reciclagem, ética, cidadania, capacitação e desenvolvimento das comunidades próximas à fábrica, em Sete Lagoas (MG). Além das oficinas culturais da Favela É Isso Aí, realizadas via Lei Federal de Incentivo à Cultura, a Lei Rouanet, a Iveco patrocina outros projetos de âmbito social na cidade, como o Sempre Um Papo na Comunidade, uma série de palestras com temas que tratam de responsabilidade social, esporte, empreendedorismo, saúde, família, música e outros, com intuito de contribuir para o desenvolvimento, a formação educacional e social das pessoas.

Na Cidade de Deus, a Iveco também vem promovendo oficinas de empreendedorismo social, educação ambiental e desenvolvimento profissional dos moradores da comunidade, realizadas pela Lenum Ambiental, empresa voltada para gestão de projetos socioambientais, parceira do Próximo Passo. Para Júnea Sá Fortes, o apoio a esses projetos faz parte da diretriz de sustentabilidade da Iveco. “A sustentabilidade hoje faz parte dos pilares da Iveco, que definiu que o desenvolvimento cultural, social, econômico e ambiental é indispensável para o fortalecimento da cidadania”, afirma.

Cidade de Deus
O bairro Ondina de Vasconcelos de Oliveira, a Cidade de Deus, existe desde 1998 e foi fundado para suprir a demanda habitacional de Sete Lagoas. O bairro ainda está na luta pela aquisição de condições básicas de infraestrutura e um levantamento apontou que o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da comunidade é abaixo da média nacional. A presença da fábrica da Iveco nas proximidades do bairro abriu janelas de possibilidades para a comunidade, que vê a presença da montadora como oportunidade de desenvolvimento econômico e social, além dos incentivos ambientais e culturais que já vem promovendo.

Favela É Isso Aí
A ONG, fundada em 2004, surgiu a partir do Guia Cultural de Vilas e Favelas, idealizado pela antropóloga Clarice Libânio, coordenadora da instituição. O objetivo é valorizar a arte e a cultura nas vilas e favelas, pesquisando e divulgando os artistas e as manifestações locais. A ONG desenvolve, atualmente, os seguintes projetos: “Banco da Memória”, que documenta e divulga a história, os artistas e os equipamentos socioculturais das comunidades; “Festival Nacional de Vídeos Favela é Isso Aí – Imagens da Cultura Popular Urbana”; “Estúdio Favela é Isso Aí”, que produz e grava CDs de artistas das comunidades; e o “Programa de Rádio Favela é Isso Aí”, em parceria com a rádio Inconfidência.  A Instituição é responsável também pela Coleção de Livros Prosa e Poesia no Morro, lançada em 2008, com cinco volumes: artesanato/receita/literatura/artigos/Banco da Memória. A ONG mantém também a Agência de Notícias Favela é Isso Aí, que produz jornal impresso bimestral, boletim eletrônico semanal, sugestão de pauta quinzenal e alimenta o site www.favelaeissoai.com.br

Rede Comunicação