Topo

Iveco Daily: a melhor opção para o seu food truck

Iveco Daily: a melhor opção para o seu food truck

Com mais de 3 milhões de vans rodando pelo país, os Estados Unidos aproveitaram a crise de 2008 para reinventar a comida de rua, com os grandes chefs trocando a cozinha tradicional pelos restaurantes itinerantes, os chamados food trucks. Aqui no Brasil, os restaurantes sobre rodas ganharam força com a regulamentação da venda de comida de rua em São Paulo, ocorrida no início de maio.

De acordo com a nova lei, não há restrições para o tipo de alimento que será comercializado. Só não pode vender bebida alcoólica. Além disso, a venda de comida deve ocorrer em apenas três tipos de equipamentos: os food trucks – furgões móveis, que poderão ter no máximo 6,3 metros de comprimento –, os carrinhos ou tabuleiros, com 1m e as barracas desmontáveis com área máxima de 4m.

O decreto restringe a instalação desses equipamentos em Zonas Estritamente Residenciais (ZER) e determina uma distância mínima de 25 metros entre os pontos de comida de rua e estabelecimentos que vendam alimentos. Os pontos de comércio e o número máximo  de termos de permissões de uso estão sendo definidos pelas subprefeituras da cidade.O vendedor que conseguir um ponto deve providenciar um cadastro na Coordenação de Vigilância em Saúde (Covisa), que irá realizar fiscalizações periódicas.

Iveco tem o modelo ideal para seu Food Truck
O Thata Burger & Fries foi um dos primeiros food trucks a surgir no Brasil. A ideia foi de Thales Caruzo que, depois de trabalhar nos parques da Disney e até cruzeiros, resolveu voltar ao país e abrir seu próprio negócio. No começo do ano, ele começou a pesquisar um veículo para transformar seu sonho em realidade. “Conversei com muita gente e a opinião unânime: todos falaram que o caminhão ideal para colocar meu projeto em prática era o Daily, da Iveco.”

A frase que ele mais ouviu foi: “Pode comprar Iveco, que você não vai ter dor de cabeça, porque é um veículo que tem chassi robusto e a manutenção mais barata do mercadio.” Thales aceitou as opiniões o especialistas e em janeiro deste ano comprou um Daily, ano 2005. “Optei por comprar um usado, por conta dos gastos que tive para abrir o negócio. Gastei R$ 130 mil apenas para fazer o baú e instalar todos os equipamentos de cozinha.”

Ele conta que quebrou a cabeça para encontrar a melhor configuração de sua cozinha itinerante, mas gostou do resultado final. “Estamos no começo das operações, mas a ideia é construir outros food trucks para trabalhar em eventos fechados, aniversários e festas corporativas. Até o final do ano, quero comprar um caminhão 0km para montar um segundo food truck,” concluiu Thales.

Gostou da ideia? Quer ter o seu próprio food truck? Então conheça as melhores configurações de Daily para o seu negócio.

Veja aqui o guia de localização dos restaurantes itinerantes do Brasil.

Fonte: Revista Força Iveco, nº 61

Iveco Brasil