Topo

Faltam caminhoneiros no Brasil e na Europa

Faltam caminhoneiros no Brasil e na Europa

Segundo o Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas do Triângulo Mineiro (Settrim), caminhoneiros estão em falta no mercado. E a situação é crítica em todo o país. Segundo entidades de classe, muitas transportadoras encontram dificuldades em contratar profissionais devido a falta de qualificação. O problema parece atingir a Europa. Dados de uma pesquisa realizada por uma empresa em 2012, apontam que a profissão de motorista de caminhão está na sétima posição do ranking de vagas de emprego mais difíceis de serem preenchidas.

Em países europeus, a qualificação é bastante rígida. Há normas para a qualificação inicial e a formação contínua dos motoristas profissionais de transporte de carga e passageiros para todos os países que fazem parte da União Europeia, o que garante profissionais com a mesma qualificação e, consequentemente, uma competição mais justa. Para ser um motorista profissional na Europa, alguns países exigem treinamento teórico, prático e exame. Outros pedem apenas o exame, porque a lei permite as duas coisas. Já os condutores formados são obrigados a realizar reciclagem de, no mínimo, 35 horas a cada cinco anos.

No Brasil, a qualificação é apontada como uma necessidade, mas é a revisão da Lei do Descanso que está sendo considerada como a solução para o problema. “Vai ser necessário fazer alguns ajustes para que realmente as coisas possam fluir e que haja um comportamento melhor do escoamento da produção”, disse  Ari de Souza, presidente do Settrim, ao portal de notícias G1.

Fonte: Portal G1, Revista O Carreteiro e Blog do Caminhoneiro

Rede Comunicação