Topo

Da consagrada família de motores Iveco, surge o nome Iveco Tector

Da consagrada família de motores Iveco, surge o nome Iveco Tector

Vem aí, o Novo Iveco Tector: o caminhão semi-pesado mais moderno do mercado latino-americano

Vem aí, o Novo Iveco Tector: o caminhão semi-pesado mais moderno do mercado latino-americano

O Novo Iveco Tector foi inspirado na versão mais recente do EuroCargo, lançada em maio deste ano na Europa. O Eurocargo é um campeão de vendas da Iveco, com mais de 430 mil unidades vendidas desde o lançamento dele, em 1991. Além disso, é o semi-pesado líder na Europa Ocidental. Para se ter idéia do sucesso deste caminhão, ele representa 25% do segmento de semi-pesados no mercado europeu. E é neste sucesso que o Novo Iveco Tector pretende pegar carona. Para ser lançado na América Latina, o modelo sofreu algumas alterações. O Centro de Desenvolvimento de Produto da Iveco, em Sete Lagoas, reestruturou o caminhão para que fosse adequado às condições de uso e rodagem nos países latinos. E as alterações não aconteceram somente na estrutura do produto. O próprio nome foi alterado e ganhou uma versão nova por aqui. Quem conta um pouco dessa mudança de nome é o diretor de Comunicação da Iveco na América Latina, Marco Piquini. Piquini lembra que Tector é também o nome da família de motores Iveco utilizada no modelo EuroCargo atual (vendido no Brasil desde o início dos anos 2000). E em 2004, para destacar a excelência daquele motor tão apreciado na categoria, o Marketing de Produto resolveu colocar um grande adesivo com o escrito Tector nas laterais dos modelos EuroCargo. Do mesmo modo, foi colocado um adesivo com a palavra “Cursor” nas laterais do Stralis. Porém, o resultado do adesivo “Tector” foi inesperado. De forma absolutamente espontânea, os modelos da gama EuroCargo passaram a ser chamados de Tector nos mercados latino-americanos, especialmente nos da Argentina e Venezuela. Virou uma espécie de “apelido carinhoso” do caminhão, chegando ao ponto de ser indicado apenas como Iveco Tector, nas propagandas de varejo nestes países. No Brasil, a princípio, o apelido não pegou tanto. Mas, em algumas regiões do país, o nome Tector passou a despontar como uma forma de referência ao caminhão. Tanto que nas reuniões de definição do novo produto para o mercado brasileiro, os nomes EuroCargo e Tector eram usados indistintamente para se falar do mesmo modelo. Então, quando a Iveco decidiu manter o EuroCargo atual em produção, mas, com novas versões e opções de entre-eixos, pensou-se também em uma mudança de nome. Foram estudadas várias possibilidades de novos nomes para este modelo, que completaria a gama de semi-pesados da Iveco. E Tector definitivamente foi apontado como a melhor alternativa, tanto nas consultas internas quanto externas. “Assim, apenas seguimos o mercado. E se pensarmos bem, quem escolheu o nome do produto foram os clientes”, diz Marco Piquini.

Iveco Brasil