Topo

Conheça as piores rodovias do país

Conheça as piores rodovias do país

As estradas são o principal meio de transporte no Brasil, com quase 60% das cargas e 96% dos passageiros. Os motoristas que viajam pelo país sofrem cada vez mais com as rodovias esburacadas, lentas e perigosas. No Norte do Brasil, a BR-163 é uma espinha dorsal, que passa pelo centro do país, do Pará até o Rio Grande do Sul. De Santarém até a divisa com o Mato Grosso, são 980 quilômetros, mas, 460 quilômetros ainda estão em estrada de chão.

A BR-101, uma das principais rodovia do país, acompanha milhares de quilômetros pelo litoral. A situação também é complicada. A estrada é antiga e sobrecarregada, mais do dobro da capacidade. Já a BR-040, no trecho entre Belo Horizonte e Conselheiro Lafaiete, sofre com um quase 100 Km de pista simples, com tráfego pesado e alto índice de acidentes. Por causa da intensa atividade mineradora, o fluxo de veículos pesados é grande, o que deixa o asfalto cortado por rachaduras. Em alguns trechos, nem acostamento os motoristas encontram para emergências.

Na BR-364, rodovia de importância fundamental para o escoamento da produção de toda a região Norte e Centro-Oeste do País, os mais de 4.300 quilômetros de extensão destacam-se pelos  buracos, responsáveis por acidentes e danos aos veículos de carga. A BR-158, que atravessa o país de norte a sul, também sofre com problemas de pavimentação e sinalização deficiente.

Ainda destacam-se como piores trechos, devido ao péssimo estado de conservação da pista e falta de sinalização, a BR-174, que liga os estados de Roraima e Amazonas à Venezuela, e a BR-364, que serve como corredor para o transporte rodoviário.

Para evitar acidentes e transtornos por esses trechos, é importante que os motoristas viajem sempre em uma velocidade segura, respeitando as curvas, sinalizações e regras de trânsito. Com a Iveco, você acompanha dicas para viajar em segurança, pela página no Facebook e informações sobre as condições das rodovias no Twitter.

Fontes: Fantástico, MGTV e Brasil Caminhoneiro.

Iveco Brasil
Nenhum comentário

Postar um comentário