Top

Como descartar pilhas e baterias

Como descartar pilhas e baterias

Pilhas e baterias são produtos que merecem cuidados especiais na hora de serem descartados, pois trazem substâncias tóxicas – metais – em sua composição.
Nas cidades onde há aterros sanitários, com sistemas de impermeabilização do solo, os metais tóxicos não causam danos ao meio ambiente. Mas na maioria das cidades brasileiras os resíduos ainda são depositados em lixões, que não têm qualquer sistema de impermeabilização. Assim, as substâncias tóxicas vão para o solo e contaminam os lençóis d’água subterrâneos.
A legislação brasileira proíbe o lançamento de pilhas e baterias a céu aberto, tanto em áreas urbanas como rurais, mas ainda não há um sistema estruturado de recolhimento de pilhas e baterias. Por lei, os fabricantes devem receber esse tipo de material descartado e encaminhado pelo consumidor.
Como descartar então?
Para começar, o consumidor consciente pode colaborar conhecendo um pouco mais a natureza dessa classe de produtos. A partir daí, fica mais fácil buscar a destinação final adequada para pilhas e baterias. O Instituto Akatu agrupa em grupos os tipos de pilhas e baterias disponíveis no mercado. Conheça mais.
Grupo 1
Pilhas e baterias de zinco-manganês, alcalinas-manganês, lithium, lithium ion, zinco-ar, niquel metal, hidreto, ou seja, as comuns, não-recarregáveis e as mais encontradas no mercado.
Podem ser descartadas no lixo doméstico porque carregam substâncias tóxicas em níveis baixos e permitidos pela legislação, ou seja, que não agridem o meio ambiente.
Grupo 2
Baterias de chumbo ácido (usadas em automóveis), de níquel cádmio (as do tipo recarregáveis, como as usadas em telefones celulares) e de óxido de mercúrio (pilhas comuns, mas que já não podem ser legalmente fabricadas no Brasil) devem ser recolhidas pelo comércio e encaminhadas aos fabricantes ou importadores para destinação adequada.
O consumidor pode encaminhar as baterias de celulares também para as assistências técnicas de operadoras de celular ou lojas que vendem aparelhos celulares.
Atenção! As pilhas de óxido de mercúrio são as de marcas piratas, que desobedecem à legislação, não pagam impostos e ainda contaminam o ambiente.
pilhas_300

Pilhas e baterias possuem substâncias tóxicas e contaminam o meio ambiente

Pilhas e baterias são produtos que merecem cuidados especiais na hora de serem descartados, pois trazem substâncias tóxicas – metais – em sua composição.

Nas cidades onde há aterros sanitários, com sistemas de impermeabilização do solo, os metais tóxicos não causam danos ao meio ambiente. Mas na maioria das cidades brasileiras os resíduos ainda são depositados em lixões, que não têm qualquer sistema de impermeabilização. Assim, as substâncias tóxicas vão para o solo e contaminam os lençóis d’água subterrâneos.

A legislação brasileira proíbe o lançamento de pilhas e baterias a céu aberto, tanto em áreas urbanas como rurais, mas ainda não há um sistema estruturado de recolhimento de pilhas e baterias. Por lei, os fabricantes devem receber esse tipo de material descartado e encaminhado pelo consumidor.

Como descartar então?
Para começar, o consumidor consciente pode colaborar conhecendo um pouco mais a natureza dessa classe de produtos. A partir daí, fica mais fácil buscar a destinação final adequada para pilhas e baterias. O Instituto Akatu agrupa em grupos os tipos de pilhas e baterias disponíveis no mercado. Conheça mais.

Grupo 1
Pilhas e baterias de zinco-manganês, alcalinas-manganês, lithium, lithium ion, zinco-ar, niquel metal, hidreto, ou seja, as comuns, não-recarregáveis e as mais encontradas no mercado. Podem ser descartadas no lixo doméstico porque carregam substâncias tóxicas em níveis baixos e permitidos pela legislação, ou seja, que não agridem o meio ambiente.

Grupo 2
Baterias de chumbo ácido (usadas em automóveis), de níquel cádmio (as do tipo recarregáveis, como as usadas em telefones celulares) e de óxido de mercúrio (pilhas comuns, mas que já não podem ser legalmente fabricadas no Brasil) devem ser recolhidas pelo comércio e encaminhadas aos fabricantes ou importadores para destinação adequada.

O consumidor pode encaminhar as baterias de celulares também para as assistências técnicas de operadoras de celular ou lojas que vendem aparelhos celulares.

Atenção!
As pilhas de óxido de mercúrio são as de marcas piratas, que desobedecem à legislação, não pagam impostos e ainda contaminam o ambiente.

Rede Comunicação