Topo

Carreira Verde

Carreira Verde

Técnicos em engenharia e gestão são os mais conhecidos como profissionais verdes, pela ligação direta com o tema. Mas o setor ambiental também tem criado oportunidades para pessoas de muitas outras especialidades. O crescimento baseado na sustentabilidade não envolve apenas a preservação do meio, mas também o desenvolvimento social e econômico e, dessa maneira, exige pessoas com diferentes habilidades.
Entre as carreiras requisitadas está a de administradores, fundamentais para gerir projetos e organizações com o foco ambiental. Esse é um nicho sedento por mão de obra qualificada e, por isso mesmo, bastante promissor.
As especialidades demandadas pelo setor ambiental não ficam limitadas às carreiras com foco em gestão empresarial. Os arquitetos, por exemplo, têm espaço garantido. O consumidor está cada vez mais consciente e engajado, e a arquitetura do século 21 está cada vez mais focada nos conceitos da bioconstrução. Usar materiais que não agridem o meio ambiente, reutilizar materiais minimizando o uso de matéria-prima do planeta são formas de trabalhar a arquitetura levando em consideração o aspecto ambiental.
Conheça aqui mais sobre o tema e o projeto da sede do programa Próximo Passo da Iveco que utiliza técnicas de bioconstrução. (inserir o link do post sobre o tema)
Profissionais da área de logística também estão bastante cotados. Mais especificamente os profissionais que trabalham com logística reversa, que tem como preocupação fazer com que os materiais produzidos, e sem condições de serem reutilizados, retorne ao seu ciclo produtivo ou para o de outra indústria como insumo, evitando uma nova busca por recursos na natureza e permitindo um descarte ambientalmente correto.
Outra área do conhecimento que está liberando pessoal qualificado para tratar das questões do meio ambiente é a pedagogia. Como a ideia corrente é perpetuar as práticas sustentáveis, a educação ambiental tornou-se parte importante das ações em favor do uso consciente dos recursos naturais.
Os químicos também estão cotados para lidar com sustentabilidade. Nesse caso, sai o trabalho de conscientização e entra o de análise de poluentes em laboratório, associado ao controle dos resíduos produzidos, no intuito de reduzir os efeitos danosos de uma empresa ou indústria à natureza. Já aqueles com formação em ciências sociais têm uma chance de sair da academia para atuar em campo com projetos de responsabilidade social promovidos por empresas preocupadas com o aspecto socioambiental.
A lista não para por aí. Economistas, psicólogos, agrônomos, assistentes sociais e muitos outros fazem parte da fatia verde no mercado que tem ganhado força no Brasil nos últimos anos. Assim, para aqueles que têm afinidade com o assunto e interesse em se dedicar a ele, o tempo é propício.
Fonte: Portal Admite-se
profissoesverde250

A fatia de empregos ligados à sustentabilidade não se restringe a profissionais do setor ambiental

Técnicos em engenharia e gestão são os mais conhecidos como profissionais verdes, pela ligação direta com o tema. Mas o setor ambiental também tem criado oportunidades para pessoas de muitas outras especialidades. O crescimento baseado na sustentabilidade não envolve apenas a preservação do meio, mas também o desenvolvimento social e econômico e, dessa maneira, exige pessoas com diferentes habilidades.

Entre as carreiras requisitadas está a de administradores, fundamentais para gerir projetos e organizações com o foco ambiental. Esse é um nicho sedento por mão de obra qualificada e, por isso mesmo, bastante promissor.

As especialidades demandadas pelo setor ambiental não ficam limitadas às carreiras com foco em gestão empresarial. Os arquitetos, por exemplo, têm espaço garantido. O consumidor está cada vez mais consciente e engajado, e a arquitetura do século 21 está cada vez mais focada nos conceitos da bioconstrução. Usar materiais que não agridem o meio ambiente, reutilizar materiais minimizando o uso de matéria-prima do planeta são formas de trabalhar a arquitetura levando em consideração o aspecto ambiental.

Conheça aqui mais sobre o tema e o projeto da sede do programa Próximo Passo da Iveco que utiliza técnicas de bioconstrução.

Profissionais da área de logística também estão bastante cotados. Mais especificamente os profissionais que trabalham com logística reversa, que tem como preocupação fazer com que os materiais produzidos, e sem condições de serem reutilizados, retorne ao seu ciclo produtivo ou para o de outra indústria como insumo, evitando uma nova busca por recursos na natureza e permitindo um descarte ambientalmente correto.

Outra área do conhecimento que está liberando pessoal qualificado para tratar das questões do meio ambiente é a pedagogia. Como a ideia corrente é perpetuar as práticas sustentáveis, a educação ambiental tornou-se parte importante das ações em favor do uso consciente dos recursos naturais.

Os químicos também estão cotados para lidar com sustentabilidade. Nesse caso, sai o trabalho de conscientização e entra o de análise de poluentes em laboratório, associado ao controle dos resíduos produzidos, no intuito de reduzir os efeitos danosos de uma empresa ou indústria à natureza. Já aqueles com formação em ciências sociais têm uma chance de sair da academia para atuar em campo com projetos de responsabilidade social promovidos por empresas preocupadas com o aspecto socioambiental.

A lista não para por aí. Economistas, psicólogos, agrônomos, assistentes sociais e muitos outros fazem parte da fatia verde no mercado que tem ganhado força no Brasil nos últimos anos. Assim, para aqueles que têm afinidade com o assunto e interesse em se dedicar a ele, o tempo é propício.

Fonte: Portal Admite-se

Rede Comunicação
Nenhum comentário

Postar um comentário