Topo

Poluição sonora: um mal subestimado

Poluição sonora: um mal subestimado

A poluição sonora acontece quando o som altera a condição normal de audição. Entretanto, na vida moderna, frequentemente estamos expostos a tantos ruídos que nossa percepção sonora é alterada. De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), um som deve ficar em até 50 decibéis para que não cause prejuízos ao homem, mas na maioria das vezes já convivemos com ruídos mais altos e não percebemos.

Por ser percebida por apenas um dos sentidos, a audição, a poluição sonora muitas vezes é subestimada, mas é preciso ficar atento às possíveis consequências da exposição prolongada a sons muito altos.

Além da surdez, fim mais conhecido e extremo do excesso de sons, são conhecidos como consequências da exposição à poluição sonora distúrbios orgânicos e psicológicos, tais como: estresse, insônia, perda da capacidade auditiva, dores de cabeça, alergias, distúrbios digestivos, falta de concentração e aumento da frequência cardíaca.

Para evitar os efeitos nocivos da poluição sonora, veja algumas dicas abaixo:

– evite locais com muito barulho;
– escute música com o volume médio, nunca no máximo;
– não se esqueça do protetor auricular quando exposto a ruídos durante um tempo muito prolongado;
– mantenha distância das caixas acústicas de shows e festas, por exemplo;
– feche a janela do carro quando em locais de trânsito intenso e barulhento;

Fontes: Organização Mundial de Saúde e Jus Naviganti

Rede Comunicação