Topo

Busca por empréstimos no BNDES aumenta 161% com safra recorde

Busca por empréstimos no BNDES aumenta 161% com safra recorde

Graças à safra recorde deste ano, à necessidade de mecanizar lavouras para ganhar produtividade e ao baixo custo de financiamento, o BNDES emprestou um valor recorde para compra de caminhões e equipamentos agrícolas de janeiro a abril deste ano, em mais um sinal da retomada dos investimentos na economia em 2013.

Mais capitalizados diante dos altos preços dos grãos no mercado externo e estimulados pelas taxas do banco subsidiadas pelo Tesouro (apenas 3% ao ano, quase metade da inflação de 5,8% prevista para 2013), produtores agrícolas obtiveram a cifra recorde R$4,4 bilhões em financiamento para compra de tratores, colheitadeiras e outras máquinas.

Trata-se de alta 161% em relação ao primeiro quadrimestre de 2012. Cláudio Bernardo de Moraes, superintendente de Operações Indiretas do BNDES, previu empréstimos de até R$15 bilhões para a compra de máquinas agrícolas neste ano e vê um segundo semestre positivo para o agronegócio. “A safra é recorde e os preços subiram com a seca nos EUA [maior produtor mundial].”

O câmbio ajudou, diz, já que o produtor plantou com o dólar baixo em 2012 e colheu com o dólar em alta, recebendo mais pelos produtos exportados. “Há muito tempo não havia uma conjuntura tão favorável”, disse. A necessidade de escoar o volume recorde de produção impulsionou o financiamento de caminhões, que cresceu 58% no primeiro quadrimestre, para R$ 8,7 bilhões.

O agronegócio é o maior gerador de divisas do país e especialistas estimam que seu impacto no PIB (considerando a infraestrutura de transporte e a agroindústria) chegue a 20%. A agropecuária cresceu 17% no primeiro trimestre, ante a igual período de 2012, na esteira da safra recorde, muito acima do PIB (1,9%).

As aprovações de novos empréstimos também avançaram de janeiro a abril – 33% para caminhões e 107% para máquinas agrícolas. Isso, diz Moraes, sustenta a projeção de crescimento do investimento no segundo semestre e de mais liberações de recursos para esses dois segmentos. O investimento em unidades da agroindústria também cresceu – 12% de janeiro a abril, segundo o BNDES.

Fonte: Jornal da Manhã de Uberaba

Rede Comunicação